This Time

*trilha sonora para o post ao final deste. Dias de desilusão, dias de preocupação. Expectativas em alta, frustrações recorrentes. Onde estaria o amor? A quanto estaria distante daqueles objetivos que sempre preencheram sua vida? Como alcançar metas e realizar sonhos quando apenas um nevoeiro de incertezas era o que via Continue Lendo…

Time for Miracles

* trilha sonora para a crônica ao fim do texto para quem quiser ler escutando as músicas que me inspiraram As luzes cintilavam em torno do pinheiro natural de aproximadamente 3m de altura. Luzes brancas, fitas vermelhas, douradas, bolas metálicas, anjos. O Natal na casa dos cunhados não era uma Continue Lendo…

Could It Be Any Harder

Dezoito de outubro. O dia mais cruel, o dia mais difícil. Como era difícil colocar-se de pé, como era difícil arrumar-se, como era difícil simplesmente seguir em frente. Quinze anos completos e ainda assim não desvanecia a dor. Quinze anos completos e a saudade apenas fazia aumentar. Resistiu, fez-se de forte, Continue Lendo…

Church Bells

Óculos escuros e colar e brinco de pérolas. Scarpins de verniz, vestido evasê de estampa floral. Verde-água claro e branco. Blazer acinturado em tafetá branco. Pele de pêssego, cor de porcelana. Lábios em rosa queimado, francesinha nas unhas. Cabelo castanho claro, um perfeito coque francês. Um enorme brilhante junto de uma Continue Lendo…

Livin’ la Vida Loca

Não fazia muito desde que ela o conhecera. 2, 3, 4 semanas? Preferia não contar, pois contar poderia romper a magia desde o primeiro olhar notada. Havia olhares, havia atenções, havia química, havia eletricidade, ela podia sentir. E sentia-se também viva outra vez. Viva para os desejos que à distância Continue Lendo…

Crônica de um aniversário opressor

A comemoração se antecipava ao fato. 22 de agosto, mas seria apenas no dia 24 que ele enfim chegaria à vigésima primavera. Ou seria inverno, considerando que a primavera só começa em setembro? Whatever! Um liberal gaúcho que faz aniversário no aniversário de morte do estatista gaúcho Getúlio Vargas; oh Continue Lendo…

Can’t Help Falling in Love

Ela não amava. Ela nunca havia amado. Mas ela queria amar; ela ansiava por ser amada. E não havia ninguém, não havia atração. Apenas estranhos; loucos; demasiado feios; desprovidos de inteligência; sem assunto; demasiado amigos, quase como irmãos; interesses diametralmente opostos, posições políticas irreconciliáveis. Ninguém melhor, nenhum admirável. Eis um Continue Lendo…

You Will See

Penúltimo semestre. Trabalho em grupo. Estresse. Sobrecarga. Responsabilidades. Irresponsáveis. Competências. Incompetentes. Maturidade. Imaturas. Uma pilha, era assim que ela se sentia. Não tinha tempo para nada, nem mesmo para conscientemente respirar. Se não fosse essa uma ação involuntária de nosso sistema nervos, certamente ela teria morrido. O maldito trabalho a Continue Lendo…