Grammy Awards: o áudio e os visuais – Parte II

Ontem postei a primeira parte de Grammy Awards: o áudio e os visuais, onde comentei algo sobre as músicas consagradas na premiação e apresentações da noite. Hoje trago minha ácida análise sobre aquilo que eu vi e, em muitos casos, infelizmente não posso desver. E adianto: senti falta de lábios vermelhos! Nem a Gwen Stefani estava com seu típico batom vermelho no tapete vermelho (mas o usou na apresentação com Adam Levine)!! Foi nude demais para meu gosto… Mas, prossigamos…

O QUE FOI VISTO

o bom
Clique na foto para ampliar

 

O vestido azul escuro arroxeado de Ariana Grande para sua apresentação musical foi para mim a melhor escolha entre todas as que vi. Era simples, elegante e valorizava bastante o tom de pele e o corpo de Ariana. Katy Perry foi minha favorita do tapete vermelho e ela inegavelmente fica muito bem de cabelo lilás (muito melhor que de cabelo verde, rosa ou azul e tão bem como de cabelo roxo ‘Wide Awake feelings’); mais uma que também acertou na maquiagem. O vestido da Taylor Swift me divide bastante: tenho sentimentos desencontrados devido a esta espécie de ‘cauda’, que me incomoda um pouco, mas esse verde azulado degradê é tão hipnotizante e casa tão bem com as sandálias arroxeadas e com os olhos azuis de Taylor que não posso não colocá-la entre as bem vestidas da noite. Jennifer Hudson cujo cabelo estilo tosado considero particularmente terrível, optou por um discreto e simples tomara-que-caia branco que ficou muito bem nela – também gostei de seu batom arroxeado. Miley Cyrus foi uma surpresa realmente positiva diante a postura geralmente escandalosa que ela adota; embora eu pessoalmente não goste dos vários recortes laterais do vestido, ele sem dúvidas tem muito mais classe que a média do figurino da srta. Cyrus. Lady Gaga estava simplesmente diva em seus vestidos de… Diva! ao lado do fofíssimo Tony Bennett! Amo Lady Gaga em looks mais “comuns” e, em especial com o vestido preto, ela estava belíssima. Destaque para a excelente peruca de cabelo branco que ela usou, requer atenção perceber que aquele não é o cabelo dela de fato. Jessie J, John Mayer e Ne-Yo muito elegantes em suas escolhas! Sobre a Miranda Lambert, mais uma escolha discreta-porém-acertada da noite, sobretudo pelo detalhe em fúcsia do vestido. O Blake Shelton, por sua vez, merecia estar na imagem abaixo, pois de calça jeans no Grammy é puxado, mas enfim… Vou relevar porque ele é lindo e é meu técnico favorito do The Voice! *-*

O QUE NÃO PODE SER DESVISTO

o que não pode ser desvisto
Clique na foto para ampliar

 

Podem dizer que se trata de originalidade, de excentricidade e de que são artistas e, em tese podem tudo. Bem, poder vestir o quiserem eles podem, obviamente, mas passar sem críticas, depende de quem está analisando. E de acordo com a apreciadora da beleza clássica, da elegância e da feminilidade que vos fala, acima temos exemplos inegáveis de mau gosto e/ou excentricidade mal colocados. Queridos, o Grammy não é o carnaval, ainda que em fevereiro! Kim Kardashian sempre excêntrica! Se não exibindo as nádegas em ensaio fotográfico ou o contorno destas sob leggings que entraram a vácuo, vestido um robe para ir ao Grammy… E o que dizer do Kanye West com essas botas horrendas junto do terno de veludo?? Que casal! Madonna é outra da categoria ‘sempre excêntrica’, mas um figurino que ficaria excelente no palco não necessariamente terá o mesmo efeito no tapete vermelho e esse é o caso. As overknee-open-boots fizeram a pequena porção visível das coxas saltarem e o aparador de bunda que ela revelou ao levantar a saias são horríveis! Guarde essa roupa para o palco, lá ficaria EXCELENTE!! Beyoncé foi extremamente infeliz com o que me parece um conjunto preto… Desvalorizou totalmente o corpo dela, deixando-a quase uma “Vovó Zona” de tão matrona. Horrível também o macacão-calça-cenoura-sei-lá-o-quê da Gwen Stefani, esse feitio de calça parece um fraldão… O vestido da Ciara, bem, parece um laçarote abstrato… Horrendo! Iggy Azelea escolheu bem o vestido, mas o penteado ninho é pavoroso! Amo tranças, no entanto a maneira como ela as usou ficou horrível. Sia sempre diz não gostar de aparecer, mas como apareceu com essa peruca grotesca! Coitado de quem sentou atrás dela. Essa do conjuntinho eu não faço ideia de quem seja, mas um blazer nesse padrão aí extrapola o medonho, sobretudo se usado com botas rosa-bebê com estrelas brancas. Sobre a Rihanna, bem, o vestido fala por si só… Bolo, algodão-doce, porta papel higiênico de crochê, peruca da Nicki Minaj…

OS MEMES

os memes
Clique na foto para ampliar

 

Os memes simplesmente dispensam comentários. Para mais memes, gifs e tweets, eis alguns links:

Para os looks não agraciados (ou bombardeados) por meus comentários, aqui vários outros looks da premiação.

Concordam comigo, discordam? Em quais pontos? Comentem!

Thaís Gualberto

Economista & Escritora. 25 anos, apaixonada por ficção, música, política e coisas fofas. Aqui vocês terão resenhas e, principalmente, textos ficcionais escritos por esta que vos "fala".

0

0 thoughts on “Grammy Awards: o áudio e os visuais – Parte II

Comente!