Reflexo

Tantos anos se privando, tantos anos se ocultando. Onde estava a jovem espirituosa e cheia de planos? Onde ficara seu ímpeto por opinar e construir o próprio caminho? Quatro décadas sendo quem não era, quatro décadas negando a si mesma? Família… Isso era o que sempre mais lhe importara e Continue Lendo…

Te Conozco Desde Siempre

Um amor platônico redescoberto e por fim consumado. Uma loucura de uma mulher apaixonada ou um relacionamento com futuro para Paula e Octavio? Continuação de “Lonely Tonight“.  Teria sido um impulso maldito ou uma benção reveladora? Aquela noite impensada, o desejo havia muito esquecido. A mesma sensação de familiaridade que Continue Lendo…

Daddy’s Little Girl

Os dois textos abaixo fazem parte, respectivamente, de “Centelha” e “Primavera”, dois dos livros que escrevo, e narram um pouco da relação entre Eduardo e sua filha mais nova, Mariana. Eis a minha singela homenagem aos grandes pais por aí, como o meu.  💗 E se quiserem ler um pouquinho Continue Lendo…

Baby, be brave!

Nem todo ato de força física é ato de coragem, tampouco todo o enfrentamento o é. Nunca tive atos de força física, sobraram-me enfrentamentos. Mais que enfrentamentos, contudo, eu diria, sobraram-me posicionamentos… E posicionamentos firmes. E, na opinião de alguns, é preciso ter coragem para isso. Mas eu, particularmente, não Continue Lendo…

Dois

Ali estavam os dois. Nada acontecera como ela havia imaginado. Estava paralisada. Como em uma questão de semanas havia tudo tomado um rumo tão inesperado. Exatamente como vinte e cinco antes. Sem a decepção, talvez, porém certamente com o mesmo estarrecimento e com o mesmo silêncio perturbador a preencher o Continue Lendo…

You and You Alone

*Trilha sonora ao fim do post Chegara o grande dia. O grande dia com o qual ela deixara de sonhar havia muito; o grande dia outrora destruído pelo definitivo. Tantos anos descartando a possibilidade, tantos anos fechada para o mundo, tantos anos sofrendo pela perda tão repentina… E eis que Continue Lendo…

Voy a Quemarlo Todo

*Trilha sonora ao fim do texto Enfim segunda-feira. À janela, Graciela espreitava. Deveria estar na escola, dando aula para as crianças do segundo ano da primária, mas telefonara dizendo-se indisposta. Era mentira. Apesar de tudo o que descobrira, estava bem, firme, forte, e dispostíssima. Embora sua casa ficasse consideravelmente distante Continue Lendo…